Individualização da Dieta

plato2

Como sair do platô?

Todos os dias aparece pelo menos uma pessoa dizendo que o peso estacionou.
Por isso, decidi fazer esta tradução.
Creio que vai ajudar muita gente:
O segredo para sair do platô
A dieta paleo low carb é famosa por ser uma ótima maneira de perder peso. A internet está cheia de histórias de sucesso milagrosas e inspiradoras fotos tipo antes/depois.
Mas o que acontece quando você faz a dieta paleo e … nada acontece?
Ou você  perde peso por algum tempo … e depois para?
Depois de fazer uma investigação e trabalhar com clientes por vários anos, eu descobri muito sobre a ciência da perda de peso. Aqui está uma lista dos mais comuns (e alguns bastante desconhecidos) motivos para sua perda de peso estacionar em uma dieta paleo:
Comer pouco
As pessoas não estão errados quando dizem que você precisa ter déficit calórico para perder peso.
Esta é uma das razões pelas quais a paleo very low carb  pode ser tão útil para a perda de peso: ela ajuda naturalmente você a comer menos, por ser mais simples e satisfatória do que uma dieta rica em alimentos processados.
Mas não por muito tempo.
Se você comer menos do que precisa, e especialmente se você fizer isso por um longo período de tempo, a sua glândula tiróide vai trabalhar lentamente. Seu corpo começa a queimar gordura corporal mais lentamente porque detecta que você está se alimentando menos.
Dependendo de quanto você é restritiva, seu corpo pode até parar de queimar gordura completamente, ou ganhá-lo, como uma resposta a menor obtenção de energia. Isto é especialmente comum para as mulheres – porque o corpo feminino é muito mais sensível aos níveis de gordura corporal do que o corpo masculino.
A solução? Comer quando você está com fome! Se precisar de informação mais específica, não comer menos de 1800 calorias ao dia, e se for fisicamente ativo,  pelo menos, 2100 ou 2200.
Baixíssima ingestão de carboidratos
Um erro que as pessoas comuns fazem na dieta paleo é desistir dos carboidratos. Agora, não me interpretem mal – uma dieta baixa em carboidratos pode ser útil para um monte de gente.
Mas, para outros – mais uma vez, especialmente para as mulheres – uma dieta baixa em carboidratos provoca complicações. Eu falo sobre isso mais longamente em outros posts e longamente no meu programa para perda de peso para as mulheres, mas o problema básico é que a redução de carboidratos faz com que o organismo reduza os níveis de hormônio da tireóide.
Os níveis de hormônio da tireóide  reduzem  até reverter a perda de peso. A solução para isto é a re-introdução de hidratos de carbono na dieta. Eu recomendo adicionar um pouco de fruta ou vegetais ricos em amido, pelo menos, duas refeições por dia gradualmente até que você esteja comendo pelo menos 100 gramas de carboidratos por dia ou 150/200 gramas se você for um atleta.
Comer demais
Às vezes, quando as pessoas estão fazendo a paleo, pensam que podem ir em frente e comer todas as coisas, porque os alimentos paleo são saudáveis.
Isso é um pouco verdade! A alimentação paleo é saudável. É nutritiva. Ajuda na cura do corpo, o que ajuda na perda de peso.
Mas só porque a comida é saudável não significa que ela não tenha calorias. Gordura em particular é muito calórica. Se você começou a comer paleo e acrescentou uma grande quantidade de gordura na sua dieta, não esqueça que estará compondo um total diário de calorias.
A solução? Diminuir o consumo de gordura (nozes, bacon, frituras e fatbombs) e ver o que acontece.
Excesso de treinamento
Há uma série de problemas que acontecem quando você treina demais.
Um deles é que você faz com que seu corpo esteja em um estado de déficit de energia por um longo tempo, o que causa os mesmos problemas de alimentação insuficiente mencionados acima.
Outra é que pode causar estresse anabólico e metabólico, que faz com que os níveis de hormônio do estresse suba. Altos níveis de hormônio do estress  inibem o corpo a queimar gordura.
Outros sinais de excesso de treinamento incluem baixa libido, acne, fadiga crônica, dor muscular, irritabilidade, sono desfuncional, e ânsias do açúcar. A quantidade de treinamento  varia para cada pessoa. Idealmente, você não deve fazer mais do que alguns exercícios intensos por semana.
Detox
Este é um segredo exclusivo para quem esta no platô. As pessoas não falam sobre isso. Mas é extremamente importante, especialmente para as mulheres.
Seu corpo armazena muitas das suas toxinas em suas células de gordura.
À medida que o corpo queima gordura, estas toxinas são liberadas na corrente sanguínea.
Toxinas de metais pesados ​​podem causar inflamação de baixo grau e uma resposta ao estresse, os quais inibem a perda de peso.
Excesso de hormônios como o estrogênio também são uma parte deste despejo tóxico. Aumento dos níveis de estrogênio pode induzir o organismo a armazenar gordura, particularmente nas coxas, quadris e seios. (Outros sinais desse fenômeno  são um aumento do fluxo menstrual e sintomas da TPM.)
As toxinas de células de gordura na corrente sanguínea pode causar platô na paleo. A solução para isso é comer vegetais em abundancia, comer quando você está com fome e parar quando você está cheio, e ter paciência.
O sal marinho
O sal marinho pode parecer uma coisa engraçada para colocar nesta lista. O sal do mar … realmente? O que isso tem  a ver com a perda de peso?
O sal marinho é o sal natural de viveiro do mar e terras adjacentes.
O que importa sobre o sal marinho é que, embora possa ter importantes minerais nele (que é uma das razões que me fazem usar sal marinho ou sal do Himalaia), ele também não é enriquecido com iodo, como a maioria dos sais de mesa no mundo ocidental são hoje.
O sal marinho é fonte natural de iodo e iodo é um mineral importante para o emagrecimento.
Sal de mesa, enriquecido com iodo parece ser a causa de pequenas inflamações.
Problemas de saúde subjacentes
Da doença celíaca a diabetes a tireoidite de Hashimoto para SIBO e IBS, existem literalmente centenas de problemas de saúde subjacentes que você pode ter que dificultam a sua perda de peso.
Como você sabe se é o que você tem?
A melhor maneira de investigar problemas de saúde subjacentes é indexar seus sintomas. Quais os problemas que você tem?  Problemas de intestino? Problemas de pele?  Faça um balanço de seu corpo e todos os problemas que você experimenta. Em seguida, leve essa lista para o Google. Leve-o ao seu médico. Faça alguns exames.
A coisa mais importante que você pode fazer para a saúde e perda de peso é descobrir se há algo de errado no seu corpo … em seguida, começar a corrigi-lo.
Hormônios
Ter taxas de hormônios saudáveis ​​e equilibradas é crucial para a perda de peso, especialmente para as mulheres.
O corpo feminino é altamente sensível a interrupções. Mudar sua dieta, alterando a sua massa gorda, mudando o seu exercício …. tudo isso têm um grande impacto sobre os sistemas de regulação hormonal.
Um exemplo disto é o estrogênio liberado por células de gordura. Outro é o efeito positivo de redução da inflamação sobre a produção hormonal e regulação do apetite.
Às vezes você pode bater em um patamar de perda de peso paleo, mas não é uma coisa ruim – é simplesmente um sinal de que seu corpo está passando por algumas mudanças.
O sistema hormonal feminino leva tempo para se ajustar. A melhor maneira de perder peso de forma consistente na paleo como uma mulher é com uma dieta nutricionalmente densa e equilibrada, para nunca mais fazê-lo.
Uma forma de você cuidar da produção hormonal do seu corpo é ingerir de pelo menos 30 gramas de gordura por dia, 100 gramas de carboidratos, fazer, pelo menos, três refeições por dia, dormir bem, e reduzir o estresse.
Controle de Natalidade
Falando de hormônios …
Métodos anticoncepcionais hormonais como a pílula é talvez a causa mais negligenciada dos platôs na perda de peso com a dieta paleo.
Seu peso é altamente dependente de níveis hormonais. A progesterona pode causar retenção de água e interfere em todo o armazenamento de gordura corporal. Estrogênio pode fazer com que você armazene gordura em suas coxas, quadris e bumbum.
Controle de natalidade hormonal tem sempre progesterona nele, e geralmente também tem estrogênio nele.
Provavelmente se você toma anticoncepcionais você vai continuar a ganhar peso, não importa o quão pouco você coma.
Uma solução para isso é tentar outra pílula. Algumas são melhores para a perda de peso do que outros (você pode encontrar todos estes dados em que o programa de perda de peso para as mulheres que eu mencionei).
Outra solução é deixar de usar a pílula, e encontrar um método de controle de natalidade natural que funciona para você. Isso pode não ser o projeto mais fácil do mundo para você … mas talvez um passo importante.
Outros medicamentos como anti-depressivos também podem fazer você engordar.
Auto-sabotagem
Psicologia é o fator número um na perda de peso. As pessoas que têm relacionamentos saudáveis ​​com alimentos costumam controlar o peso mais facilmente.
Auto-sabotagem muitas vezes acontece quando você percebe que está fazendo progressos. Dai você começa a focar nisso, se pesa toda hora, mede, olha no espelho….
Uma das melhores coisas que você pode fazer para parar de sabotar a si mesmo é parar de examinar. Saia da casinha. Pare de olhar para o espelho. Parar de medir sua cintura. Basta confiar em si mesmo. Confie em sua dieta saudável. Continue fazendo o que você está fazendo, e aceite a mudança.
Não resista a mudança – deixe isso acontecer.
Ouça seu corpo, ingira alimentos nutricionalmente densos e não só alimente o seu prazer de comer.
Tenha paciência!”
Tradução do texto de Stefani Ruper

paleo-carbs-s

Oito Sinais que Indicam que Você Precisa Comer Mais Carboidratos

Decidi fazer esta tradução da postagem da Stefani Ruper pelos mesmos motivos que ela expos no emails marketing que divulgou o texto que hoje traduzo aqui:
Toda semana eu escuto pelo menos uma mulher reclamando que não esta conseguindo perder peso como gostaria com uma dieta de baixíssima ingestão de carboidratos…..
‘Dietas pobres em carboidratos são super populares, especialmente entre adeptos da paleo.
Isto não é sem razão. Dietas pobres em carboidratos tem valor terapêutico. Elas costumam ajudar as pessoas com diabetes controlar os seus níveis de açúcar no sangue. Pessoas que sofrem de certos tipos de câncer, enxaquecas crônicas e infecções crônicas também se beneficiam muitas vezes com a low carb.
No entanto, as dietas de baixo carboidrato pode causar problemas também. Isso depende inteiramente o seu genes, saúde e histórico de saúde.
Às vezes, a resposta para seus problemas de saúde não é comer menos carboidratos, mas sim comer mais.
Aqui está uma lista de sinais e sintomas que podem indicar que você se beneficiará com o aumento da ingestão de carboidratos:
1. Você se cansa facilmente
Você fica sem energia no final do dia? Você perde o fôlego depois de subir um ou dois degraus de escadas? Muitas vezes você está cansado? Você pode precisar de mais carboidratos.
(Apesar de algumas coisas, como a deficiência de ferro, também podem causar fadiga.)
Os hidratos de carbono são o combustível favorito do corpo para queimar.
2. Você luta para executar de forma consistente sua rotina de exercício
Os hidratos de carbono são armazenados nos musculos como glicogênio, e o corpo ama queima-los durante os exercícios.
Se você se exercita com freqüência, mas suas reservas de glicogênio estão baixas, você pode não ser capaz de realizar o seu melhor. Os atletas devem manter seus estoques de glicogênio recheados. Você pode fazer isso sempre repondo carboidratos depois de um treino duro e / ou certificando-se de comer, pelo menos, 150 g de carboidratos em um dia de atividade física.
3. Seus músculos não crescem mesmo que você trabalha duro
Lutando com ganhos de massa? Seus músculos não vão crescer sem que você dê a ele  carboidratos e proteínas depois de um treino (a proporção ideal é de 3: 1, então 30 gramas de carboidratos, 10 gramas de proteína).
Abastecer o mais rapidamente possível depois de um treino pode ajudar, mas não se esqueça que o reparo do músculo acontece durante dias depois de um treino duro, então mantenha a ingestão decarbs sobre controle.
4. Você sente frio o tempo todo
Uma dieta baixa em carboidratos pode causar os sintomas de hipotireoidismo.
Isto é porque a glicose é necessária para o corpo fazer T3 a partir de T4. T3 é a forma do hormônio tireoidiano que realmente fornece energia (que é de calor) para as células.
Ser frio é um sintoma de hipotireoidismo. Cabelos quebradiços e unhas, sobrancelhas finas, e dificuldade com perda de peso são alguns outros sintomas.
Se você comer uma dieta baixa em carboidratos e você luta com estes sintomas, carboidratos pode ser uma parte de sua solução.
5. Sua perda de peso estagnou
Hormônio da tireóide são absolutamente cruciais para a perda de peso. O funcionamento da tireóide pode ser prejudicada por uma dieta de baixo carboidrato, por vezes, uma dieta baixa de carboidratos (especialmente se estiver nela por um longo tempo) pode parar ou mesmo reverter a perda de peso.
Em uma dieta baixa em carboidratos, o estresse (da glândula adrenal), também pode, por vezes, começar a disparar fortemente. Com altos níveis de hormônio do estresse no organismo, as moléculas de gordura queimam com menos eficiencia.
Eu recomendo começar com 100 gramas de carboidratos “densos” por dia.
6. Você tem uma vida estressante
Os hidratos de carbono são necessários para apoiar as glândulas supra-renais. Sem a ingestão adequada de carboidratos, as glândulas supra-renais têm de trabalhar mais para tentar e manter níveis adequados de açúcar no sangue. Quando isso acontece, os níveis de hormônio do estresse subem ainda mais.
Agora, é claro, uma dieta muito rica em carboidratos também podem causar o mesmo efeiro nas glândulas supra-renais. A solução aqui é o equilíbrio. Uma dieta equilibrada pode ajudar a manter os níveis de hormônio do estresse em cheque.
Os carboidratos também ajudam o corpo – e, especialmente, o corpo feminino – produzir serotonina. Serotonina é o calmante ( “se sentir bem”) dos neurotransmissores. Obter carboidratos adequados pode ajudá-la a se sentir mais calma em momentos de estresse.
7. Você não dorme bem
Além de ser calmante, a serotonina também ajuda as pessoas (especialmente as mulheres) no sono.
Uma refeição que inclui, pelo menos, 30 gramas de hidratos de carbono quatro horas antes de dormir melhorara a qualidade do sono.
8. Você tem ciclos menstruais irregulares, ausentes, ou dolorosas
Às vezes as mulheres perdem a sua fertilidade porque seus corpos estão estressados por uma dieta pobre em carboidratos.
O corpo feminino realmente, realmente precisa se sentir “alimentado”. Se ele não se sentir alimentado, ele pensa que pode estar em um período de fome, e ele desliga a função reprodutiva para se proteger de gravidez em um momento perigoso.
Os hidratos de carbono são um componente importante de fazer o corpo se sentir alimentado.
Eles também podem ajudar o corpo a regular os níveis de hormônio, isto é, ajudar a prevenir os problemas de estrogênio que podem causar cólicas dolorosas e similares (embora há muitas coisas que podem contribuir para isso).
Quais carboidratos pvocê deve comer?
A  razão para os carboidratos terem má fama é porque uma grande quantidade deles são realmente ruins para você: pães, cereais, massas, bolos e outros alimentos processados ​​podem fazer você ganhar peso e causa r uma série de problemas.
A parte mais importante de ser saudável e perder peso é a qualidade do alimento que você come.
Então, simplesmente não coma os carboidratos ruins, e foque nos bons
Bons carboidratos são:
1) os legumes doces e fontes de amido como beterraba, abóbora, batata, batata doce, inhame, batata, mandioca e cará,
2) frutos.
Quinoa e arroz também podem ser utilizados.
Alguns podem se dar melhor com frutas e outros com tubérculos.
Quantidades e tipos variam de pessoa para pessoa.
As mulheres grávidas devem definitivamente comer mais. Assim como os atletas.
Por essa razão, eu recomendo começar com 100 gramas de carboidratos densos ( amidos e frutas) todos os dias. Se isso parece muito para você, especialmente se você está vindo de uma dieta muito baixa em carboidratos, basta adicioná-los lentamente. Uma vez que você começar, é muito fácil encontrar seu ponto de equilíbrio
O que você acha? Você precisa de mais carboidratos? ‘
Para ver o post original

Qual a quantidade ideal de carboidratos?

 

Muitas pessoas que conheço estão buscando informações sobre a Dieta Paleo neste momento.
O problema é que não existe muita informação em português e nem todo mundo compreende o inglês, por isso decidi postar  algumas traduções de textos que considero importantes e que respondem a várias dúvidas ou informações incompletas que circulam por ai como verdades absolutas.
Peço atenção e paciência, pois os posts serão um pouco mais longos do que habitualmente, mas é por uma boa causa!
Começo com uma postagem do Chris Kresser com uma nutricionista.
http://chriskresser.com/is-a-low-carb-diet-ruining-your-health
A tradução segue entre aspas e em itálico, mas pretendo preencher o texto com alguns comentários que seguirão em letra de tamanho menor e sem aspas para vocês identificarem com facilidade o que é meu e o que é do autor traduzido.
‘Os hidratos de carbono, e o papel que desempenham em uma dieta saudável, são um dos debates nutricionais mais disputada do mundo, tanto nos meios convencionais de saúde como nos ancestrais.
De um lado, você tem pessoas que dizem que os carboidratos são não essenciais e aumentam o risco de doenças como diabetes, câncer e distúrbios neurológicos. Por outro lado, alguns dizem que os carboidratos são cruciais para uma boa saúde e devem representar a maioria de suas calorias.’ (dietas tradicionais)
‘Não é à toa que eu tenho tantos clientes que chegam a mim completamente confusos sobre carboidratos e se eles devem ou não comer mais ou menos um deles.’(diariamente alguem pergunta a mesma coisa nos grupos do Facebook)
‘Enquanto algumas pessoas tem ótimo resultado seguindo uma dieta Paleo very low carb, há muitas pessoas que não tem. Então, como você pode saber se você é do tipo de pessoa que não deve comer uma dieta baixa em carboidratos, e como você sabe quantos carboidratos você deve comer? Eu pretendo ensinar-lhes neste artigo.
Gravidez
Eu discuti recentemente o papel de carboidratos durante a gravidez em um episódio de The Ancestral RDs Podcast. A razão mais importante pela qual as mulheres precisam de carboidratos adequados durante a gravidez é o de assegurar o desenvolvimento do cérebro fetal e crescimento adequado. Outra razão é porque uma dieta rica em proteínas pode ser perigoso durante a gravidez, e quando você corta carboidratos como um dos principais macro nutrientes, normalmente você  acaba aumentando a proteína no percentual de calorias. A ingestão de proteínas superior a 25% das calorias durante a gravidez pode levar à diminuição da massa no nascimento e aumento da morbidade e da mortalidade perinatal para o bebê.
O Instituto de Medicina recomenda um mínimo de 175 gramas de hidratos de carbono por dia durante a gestação, que é 29% de calorias de uma dieta 2400 calorias. Paul Jaminet aconselha mães grávidas a restringir proteína a cerca de 15% de calorias e obter 30% de calorias como hidratos de carbono . Chris recomenda uma abordagem carb moderada para maioria das mulheres grávidas (exceto aqueles com qualquer tipo de diabetes), em seu livro.
Como estes outros especialistas, eu geralmente recomendo 30% de calorias provenientes de carboidratos para as minhas clientes grávidas, e também para aquelas que estão lutando com a fertilidade. A menos que você tenha diabetes ou uma condição neurológica grave que requer a restrição de carboidratos, não vale a pena o risco de brincar com uma dieta baixa em carboidratos quando você está grávida, e essas dietas não são adequadas a fertilidade para muitas mulheres também. (Se você estiver interessado em mais razões pelas quais carboidratos podem afetar a fertilidade, leia este ótimo post da Stefani Ruper.)
Atletas
Se você é um atleta profissional ou amador que treina duro 4, 5 ou mesmo 6 dias por semana (eu espero que você não está fazendo 7 dias por semana!) E tenta manter este nível de atividade em uma dieta baixa em carboidratos, você pode estar fazendo mais mal do que bem para a sua saúde e fitness.
Enquanto há atletas que prosperam em uma abordagem de baixo carb bem planejada (LeBron James mais recentemente!),existem muitos outros que não. Cada atleta é completamente único em sua performance e não há nada de errado em testar a dieta para ver como isso afeta a sua capacidade atlética.
Mas se você está tentando uma dieta baixa em carboidratos por meses e os seus treinos não estão muito produtivos, seu peso não se mexe (ou talvez você ganhou peso!), e seu tempo de recuperação está aumentando, você provavelmente não é o tipo de pessoa que pode lidar com uma dieta baixa em carboidratos combinados com atividade física intensa regular.
Muitos clientes vêm a mim em uma dieta baixa em carboidratos, que, após a mudança para uma abordagem mais moderada de carb, descobrem que sua energia e resistência aumentou significativamente, e eles foram capazes de fazer mais rápidos ganhos de força do que antes. Muitos também foram capazes de perder aquela gordura teimosa que eles estavam mantendo apesar de comer uma dieta baixa em carboidratos e treinando forte.
Para meus clientes de atletismo eu geralmente recomendo um mínimo de 20% de calorias provenientes de carboidratos, e dependendo de metas da pessoa, ou seja, saúde, programação de treinamento, e outras questões, talvez eu realmente recomende mais como 40-50% de calorias provenientes de carboidratos.
Mais uma vez, cada atleta é um indivíduo e o que funciona para uma pessoa, ou mesmo milhares de pessoas, pode não funcionar para você. Portanto, não tenha medo de experimentar e preste atenção em como sua dieta faz você olhar, sentir e executar! E não hesite em pedir ajuda se você precisar dela!
Hipotireoidismo e Fadiga Adrenal
O hipotireoidismo é uma das razões médicas mais citados para a necessidade de comer uma dieta moderado em carboidratos. A principal razão pela qual os carboidratos afetam a função da tireóide de forma tão direta é porque a insulina é necessária para a conversão do hormônio T4 inativo no hormônio T3 ativo, e a insulina é geralmente bastante baixo em dietas muito baixas em carboidratos.
Então, se você de repente começou a desenvolver sintomas hipotireoidismo em sua dieta baixa em carboidratos, é um bom sinal de que você deveria aumentar os carboidratos (e checar a sua tireóide se já não tiver feito!) Para saber mais sobre o quão baixo carb dieta afeta a sua tireóide, ouvir este grande entrevista com Chris por Jimmy Moore.
Desequilíbrio do eixo HPA, também conhecido como a fadiga adrenal, é uma outra condição em que a ingestão moderada  carb  é importante para a saúde geral. Kelsey e eu conversamos sobre a fadiga adrenal em nossa primeira peça o podcast RD, ouça se você não estiver familiarizado com esta condição. O principal hormônio que fica desregulada em fadiga adrenal é o cortisol. Isto significa que uma dieta baixa em carboidratos é um potencial estressor adrenal em indivíduos suscetíveis. Combine isso com um trabalho estressante, sono inadequado, e overexercise, e você tem a receita para o esgotamento adrenal.
Então se você tem fadiga adrenal, ou se o seu estilo de vida atual já é muito estressante, você poderia aumentar a ingestão de carboidratos até obter esses estressores adicionais sob controle. Lara Briden escreveu um ótimo artigo sobre os benefícios de alimentos com carboidratos integrais na redução cortisol e levantando GABA, um hormônio calmante que muitas vezes é baixa em pacientes com fadiga adrenal.
Se você está experimentando sintomas de hipotireoidismo ou fadiga adrenal, você pode estar  agravando com uma dieta baixa em carboidratos Paleo bem-intencionado. Eu recomendo trabalhar com alguém (ajuda de um profissional de saúde) para ajudar você a descobrir se sua dieta esta realmente deixando esses sintomas piores, e como mudar o que você come para melhor apoiar a sua tireóide e saúde adrenal.
Saúde do Intestino
Uma das desvantagens menos discutidos de uma dieta muito baixa em carboidratos, a longo prazo é o potencial de alteração da flora intestinal. Chris cobriu recentemente esta questão em um podcast com Jeff Leach, onde discutiram evidências de que uma dieta muito baixa em carboidratos pode levar a disbiose intestinal e uma redução na diversidade da flora intestinal. Um monte de informações sobre este novo tema que não é totalmente compreendido. Mas é razoável acreditar que quando você evita carboidratos, você também está evitando prebióticos importantes (ou seja, o alimento para sua flora intestinal) como fibras solúveis e amido resistente.
Estes prebióticos são essenciais para promover o crescimento da flora intestinal do bem. Sem eles, sua flora benéfica não pode produzir substâncias cicatrizantes no intestino, tanto como o butirato e outros ácidos graxos de cadeia curta, e sua composição microbioma pode até mudar para uma direção indesejável. E, como Chris diria, você só é tão saudável quanto seu intestino é: um intestino não saudável contribui para tudo, de obesidade e diabetes, a doença digestiva, a doença auto-imune, para doenças de pele.
Aqueles que estão fazendo dietas muito pobres em carboidratos, e que simplesmente não podem aumentar a sua ingestão de amido por qualquer motivo, devem usar suplementos prebióticas como fécula de batata crua, e rica em amido ou FOS em pó. No entanto, estes produtos devem ser incorporados lentamente em seu regime de suplemento, pois você pode experimentar gases e inchaço se muitas prebióticos são tomadas de uma só vez, ou se houver disbiose intestinal pré existente ou supercrescimento bacteriano. Neste caso, seria sábio ter o apoio de um profissional de saúde.
Quandovocê acerta a quantidade de carboidratos  que realmente precisa, os benefícios para a saúde são imediatos.
Esses benefícios incluem perda de peso, humor elevado, a melhoria da pele, aumento de energia, a função menstrual normal, o sono mais satisfatório, e muito mais. É tão emocionante ver o que um par de tubérculos amiláceos e pedaços de fruta pode fazer para a saúde de uma pessoa quando eles simplesmente precisam comer mais carboidratos!
Quer saber quais os alimentos que têm carboidratos  e qual o tamanho das porções que você precisa comer de cada tipo para obter os carboidratos que você precisa? Clique aqui para obter uma lista acessível você pode imprimir!
Considerações Finais
O objetivo deste artigo não é criticar as dietas baixas de carbs. Eu realmente acredito que há muitas pessoas lá fora que obtém resultados surpreendentes com um plano de baixo carb, e há dezenas de condições de saúde que se beneficiam de uma dieta cetogênica. Paul Jaminet tem escrito algumas grandes mensagens que explicam quando uma dieta cetogênica pode ser útil e necessário, então eu sugiro que leia estes posts, principalmente se você ainda em dúvida sobre este assunto.
Minha esperança é que ao ler este artigo, você será capaz de compreender os diversos fatores que interferem em como a pessoa lida com uma dieta baixa em hidratos de carbono, e se ou não a sua saúde vai melhorar em tal programa. Todo mundo é diferente na sua capacidade de prosperar em uma dieta baixa em carboidratos. Se você se identificou com algum dos problemas que eu escrevi neste post, você pode estar necessitando de um ajuste de macro nutrientes’(ajuste nas porcentagens de proteínas, gorduras e carboidratos) ‘em sua dieta.
Ajudar as pessoas a optimizar a sua ingestão de carboidratos é um desafio que eu realmente gosto. Como nutricionista, adoro ajudar as pessoas a avaliar a sua dieta para determinar se eles estão atendendo às suas necessidades de saúde com os alimentos que estão comendo.
Sua ingestão de carboidratos não deve ser o principal fator que está impedindo você de alcançar seus objetivos de saúde. Eu espero que você use a informação que eu  compartilhei hoje para avaliar suas próprias necessidades nutricionais e fazer as mudanças que fazem sentido para você.’ Laura Schoenfeld
Já postei aqui algumas vezes como é a minha dieta em todas as suas fases e o sucesso que obtive ao introduzir alguns tubérculos cozidos e resfriados. Tubérculos e não subprodutos de tubérculos ou concentrados de amido…
Já expliquei e mostrei qual a divisão do meu prato nas refeições: metade de origem animal e metade de origem vegetal, sendo que desta metade vegetal 1/3 é composto de tubérculos cozidos e resfriados.
Observo muitas meninas com hipotireoidismo como eu que ficam neste dilema entre mais ou menos carbs, muitas delas alternam entre restrição absoluta de carboidratos, chegando a contar carbs de tomate e abobrinha, e períodos cheios de tapiocas muito bem recheadas e batata doce frita…. chamo de ‘8 ou 80’…. Com grande restrição de carbs não perdem peso e no periodo de tapioca e batata doce, ganham peso!
No meu caso alguns tubérculos e subprodutos dos mesmos, como tapioca, aumentam a fome e a vontade de comer, o que facilita a perda de controle e consequentemente o ganho de peso. Eu prefiro tubérculos como inhame e cará, alem da deliciosa mandioquinha, pois consigo me manter em equilibrio saudável, sem desejos ou aumento de fome.
A minha perda de peso é lenta, provavelmente seja lenta em todas as mulheres que tenham hipotiroidismo, mas o importante não é perder trossentos quilos rapidamente, mas sim uma perda constante, gradual e definitiva.
Não sei se os tubérculos que escolhi são os melhores para todas as pessoas, mas sei que é necessário experimentar, caso você queira ou precise aumentar a ingestão de carboidratos, experimentar de forma consciente, observando a reação do seu organismo e evitando sempre os extremos.

Compartilhe!

Leave a Reply

Theme by Anders Norén

Pular para a barra de ferramentas